fbpx
NotíciasPC

Quer aprimorar a experiência visual no Microsoft Flight Simulator? Confira algumas dicas.

A Kingston separou algumas sugestões de como você pode fazer isso.

Via de regra, uma experiência em simulador deve oferecer ao usuário uma imersão mais próxima à realidade, e um ponto fundamental para que isso aconteça está ligado à tecnologia utilizada. Em agosto, chegou ao mercado o ‘Microsoft Flight Simulator’, nova versão do simulador de voo da Microsoft para PCs que permite ao jogador viajar por mais de 37 mil aeroportos e 2 milhões de cidades com diferentes aeronaves e condições climáticas. Mesmo oferecendo altíssimo nível de realismo em seus gráficos, o jogo só entregará máxima performance se estiver rodando em um computador preparado. Para garantir que as condições sejam as ideais, Iuri Santos, gerente de tecnologia da Kingston, preparou algumas dicas:

• Carregar o mapa do mundo inteiro e renderizar em 3D não é uma tarefa fácil até mesmo para computadores modernos. De maneira geral, durante o gameplay em modo single player, o consumo de RAM pode oscilar entre 9 e 15GB, por isso, ter 32GB de RAM é o ideal para manter o mundo virtual ao redor do avião sempre carregado em detalhes para uma experiência ainda mais imersiva. Tanto a Kingston quanto a HyperX oferecem memórias RAM de 32GB, em versões individuais ou kits de 2 a 4 módulos.

• Configurações menores de RAM, como 16GB, que inclusive é considerada a recomendada pela Microsoft, podem acabar trabalhando no limite e não entregando o resultado esperado. Por padrão, o jogo já cria automaticamente um cache (um depósito de informações que podem ser acessadas a qualquer momento pelo programa) de 8GB, limitando o potencial de processamento da memória. Sendo assim, para um melhor resultado é primordial que o usuário utilize memórias idênticas (dual channel) com as mesmas capacidades de armazenamento, seja para 8GB, 16GB ou 32GB. A experiência será ainda melhor se a frequência desses componentes for a maior possível entre as compatíveis com o sistema operacional em uso.

• Outra dica é apostar em um bom SSD (unidade de estado sólido). Como o jogo faz uso intenso de informações baixadas e processadas em tempo real, um SSD veloz ajuda a acessar com maior agilidade o cache e diminui os tempos de carregamento do jogo. Isso porque a memória RAM é demandada à medida que o processador inicia o trabalho de simulação, deixando para o SSD a tarefa de alimentar todo o sistema, que exige cerca de 150GB disponíveis para instalação e operação. A recomendação, neste caso, é por um SSD Kingston (A2000, KC2000 ou KC2500) combinado com 32GB de memória RAM.

• Internet banda larga é essencial para o Flight Simulator. Não só para instalar o jogo, mas para baixar todas as informações que o jogo acessa em tempo real, como as condições climáticas do lugar que está sendo sobrevoado. Esse tipo de dado dá à experiência um realismo fenomenal.

• Jogos de simulação de voo demandam muito de todo o computador, pois fazem uso dos recursos disponíveis e apresentam grande qualidade visual e sonora em configurações intermediárias. Existem muitas opções de customização da qualidade do jogo e isso pode ser adaptado para que máquinas diferentes rodem o game de modo satisfatório.

Para mais informações sobre a Kingston e seus produtos, acesse http://www.kingston.com.

Saulo Fernandes

Publicitário de formação, editor da Gamers & Games desde 2015. Gosto de jogos de exploração, aventura e corrida, comecei a jogar no Master System, mas o meu console queridinho até hoje é o GameCube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo