fbpx
Notícias

A Twitch e o futuro da TV

O consumo de entretenimento está mudando, e a plataforma revoluciona o segmento com a sua comunidade massiva e altamente engajada de criadores e fãs

21 de novembro é o Dia Mundial da Televisão, o momento perfeito para comemorar esta tecnologia que há pouco tempo reunia famílias inteiras e milhares de comunidades em um mesmo espaço para acompanhar os seus programas favoritos. Porém, hoje esse formato de entretenimento migrou para novos espaços digitais, e isso também mudou a forma como as pessoas se relacionam social e culturalmente, principalmente em uma época como a que vivemos, em que o distanciamento social tem sido mais do que necessário.

O consumo do entretenimento está mudando. De acordo com um relatório da Zenith Media, a TV, pela primeira vez em sua história, perdeu a liderança do setor para a internet.

A internet e as plataformas de streaming trouxeram um novo paradigma. Hoje, o conteúdo é consumido em tempo real e não está limitado a um único dispositivo, horários e programações. A audiência é quem escolha o que, quando e onde assistir o seu conteúdo preferido. Atualmente, de acordo com o estudo da IFT “Os hábitos de consumo de mídia dos jovens”, a principal razão do alto consumo de conteúdo sob demanda é a liberdade de escolher o que assistir.

Mas há uma coisa que as pessoas ainda procuram: uma conexão real, como a que a televisão alcançou ao reunir as pessoas em grande escala. E isso coloca o Twitch, uma das principais plataformas de streaming ao vivo, no centro da transformação, pois está revolucionando o entretenimento por meio de sua comunidade massiva e altamente engajada de criadores e fãs.

Sobre esse assunto o diretor de conteúdo e parcerias da Twitch, Wladimir Winter, comenta: “A Twitch tem uma comunidade diversificada e envolvida, composta por milhões de criadores de conteúdo que estão ao vivo todos os dias. O engajamento é o centro de nosso negócio e, na plataforma, o criador consegue acompanhar em tempo real o que estão comentando em seu chat, saber quem se inscreveu no canal, entre outros exemplos. À medida que desenvolvemos e incorporamos novas ferramentas e recursos interessantes que permitem que nossos criadores entrem em contato com suas comunidades em tempo real, podemos apenas sonhar com o que o futuro reserva para Twitch.”

Atualmente, plataformas como a Twitch representam o futuro da televisão. A Twitch é ao vivo e interativo, baseada em conteúdo e voltada à comunidade, onde qualquer pessoa pode participar na criação de conteúdo. E é por isso que a plataforma abriga grande parte das pessoas que não consomem TV paga e rejeitam as formas tradicionais de consumir mídia. A Twitch se transformou no espaço em que Millennials e a Geração Z se reúnem, incluindo influenciadores de ambos os recortes. Para se ter uma ideia do tamanho da audiência, mais de 2 milhões de pessoas estão conectadas na Twitch em qualquer momento do dia, mais de 6 milhões de criadores fazem streamings ao vivo todos os meses e o site recebe uma média diária de 26,5 milhões de visitantes.

Os jogos fazem parte do DNA da Twitch, mas a plataforma não é uma empresa apenas de jogos. A Twitch é para qualquer um – qualquer pessoa que seja um fã, que seja apaixonado por qualquer coisa. Embora a plataforma tenha começado nos jogos, rapidamente começou a se expandir para abranger os diferentes hobbies das pessoas. Nos últimos anos, a Twitch viu um crescimento orgânico fora dos jogos – especialmente na música e nos esportes – e investiu no crescimento desse conteúdo. Como resultado, o conteúdo não relacionado a jogos na plataforma quadruplicou nos últimos três anos.

Falando um pouco mais sobre o público da Twitch, é importante dizer que 39% dele não é acessível pela TV tradicional – sendo que 9% da audiência geral não assiste à TV e 30% consome apenas conteúdo de vídeo sob demanda e por assinatura, que não têm anúncios.

Embora a televisão ainda tenha grande impacto global, também é necessário reconhecer sua coexistência com outras plataformas, como a Twitch, que oferecem novos formatos digitais que permitem às pessoas participarem e se envolverem com seus interesses, além de criar uma comunidade real, em um momento em que se sentir envolvido com sua comunidade é mais importante do que nunca.

Saulo Fernandes

Publicitário de formação, editor da Gamers & Games desde 2015. Gosto de jogos de exploração, aventura e corrida, comecei a jogar no Master System, mas o meu console queridinho até hoje é o GameCube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo