fbpx
AnálisesPCPlayStationXbox

It Takes Two – Um caso de amor…com jogos Co-Op | Análise

O jogo, um dos melhores de 2021 até o momento, reinventa uma fórmula por muitos já até esquecida.

Analisado no PlayStation 5


Já faz um bom tempo que jogos cooperativos não são vistos com bons olhos pela indústria de games. Atualmente o “gênero” co-op serve apenas para alguns modos de poucos jogos.

Pois bem, não parece que isso incomoda o estúdio Hazelight e diretor Josef Fares. Sim, eles são responsáveis por A Way Out, game também cooperativo, mas que, apesar de um certo sucesso, deixou um pouco a desejar.

Mas agora, com as ideias mais maduras e aprendendo a partir do que deu certo e errado com A Way Out, Fares conseguiu unir tudo que um jogo co-op precisa e traz It Takes Two, um game encantador, elevando ainda mais a magia de se jogar com outra pessoa.

It Takes Two

Antes de mais nada, é bom salientar que sim, It Takes Two é um jogo apenas cooperativo, seja local ou on-line, então, não é possível jogar solo e, depois do que já vivenciamos, nem seria tão legal, mesmo que isso fosse possível. Mas, o mais legal é que se for jogar on-line, apenas uma das duas pessoas precisa ter o jogo, a outra recebe um passe para jogar como convidada.

It Takes Two conta a história do casal Cody e May, que estão em via de se separar pois as discussões e o marasmo da rotina fizeram o amor entre os dois esfriar. Mas, a mais afetada por essa situação é a filha Rose.

It Takes Two

Preocupada com a situação cada vez pior do relacionamento de seus pais, Rose traz para casa um misterioso livro de ajuda chamado “Book of Love”. Como ela não consegue realmente falar com Cody e May, Rose faz um pedido ao livro e aí a magia acontece.

Após o pedido, Cody e May são transformados em pequenos bonecos e passam a habitar um estranho mundo, onde brinquedos ganham vidas e animais acabam se tornando criaturas gigantescas, mesmo que tudo isso se passe em sua própria casa.

It Takes Two

O Livro, ou melhor, o Dr. Hakim, acaba tendo a difícil missão de acender a chama do amor entre Cody e May, que só será possível quando perceberem que para sair daquele mundo terão que trabalhar em equipe, seja por bem ou por mal.

Apesar de ser um tema forte, o roteiro da história do jogo foi feito de uma forma muito divertida, sendo impossível não dar excelentes gargalhadas com as situações onde o casal é forçado a passar e pela excelente atuação do Dr. Hakim, dando um banho de carisma e simpatia.

It Takes Two

Quando o jogo começou, a primeira reclamação (que você pode observar no primeiro vídeo de nossas Lives), é porque a tela tem que ser dividida? Por que não poderia ser apenas o nosso personagem na tela? Realmente Josef Fares me responderia daquele jeito sutil dele “F*ck The Oscars”, pois toda a jogabilidade é em torno da cooperação entre os personagens. Isso significa que em muitos momentos, não basta apenas você executar uma tarefa, você tem que obrigatoriamente saber o que o seu companheiro está fazendo para resolverem uma situação. Se no primeiro momento parecia um empecilho, depois de alguns momentos compreendemos facilmente o porquê e começamos a nos divertirmos.

O jogo passa por diversos tipos de mecânicas: Plataforma, Puzzles, FPS, Fight Game, RPG… é uma infinidade de coisas que você terá que fazer, o que nos deixou curioso em saber quanto tempo foi gasto pelos desenvolvedores pensando em tudo aquilo. Cada parte da aventura você é obrigado a aprender um tipo de jogabilidade diferente (isso quando você não usa várias na mesma fase), o que torna o joga muito mais interessante.

E não se preocupe, a curva de aprendizagem é bem tranquila, bastando alguns segundos para se adaptarmos ao tipo de jogabilidade exigida.

It Takes Two

Aqui vai uma das poucas coisas que poderia ser melhorada no jogo, os controles. Por várias vezes acabamos morrendo por não responderem tão rapidamente ou da forma que queríamos. Saliento aqui principalmente o uso da corda por exemplo, que em muitos momentos não funcionou da melhor forma, ou a luta contra os Chefões, que também encontramos alguns problemas com os controles e acabávamos morrendo.

Uma causa para isso, talvez, seja que por ter tantos tipos de gameplays no mesmo jogo, não houve como os desenvolvedores refinarem os controles como acontece em um jogo “normal”.

It Takes Two

A dificuldade do game é bem tranquila, até mesmo por causa da proposta e da temática do jogo, o que pode trazer a família para ficar em volta da TV ligada no game. Não há limites de morte e geralmente encontramos muitos saves automáticos, que nos trazem rapidamente a ação. Ahhh, vale ressaltar que os dois tem que morrer para renascerem no save, caso apenas um morra, há a possibilidade de rapidamente voltar naquele mesmo instante.

Outra coisa interessante é que caso você decida vasculhar o ambiente, você vai descobrir diversas referências e curiosidades seja de jogos e filmes ou até mesmo mini-games, o que mostra que não necessariamente você precisa ficar colocando colecionáveis ou outros artifícios para estimular o jogador a explorar um mundo.

It Takes Two

Graficamente It Takes Two é muito bom. Podemos ver nos diversos tipos de fases materiais e partículas diferentes, mas sempre muito bem acabadas. As texturas dos objetos são um caso a parte, mostrando o excelente nível de detalhe que os desenvolvedores tiveram. A iluminação está perfeita, seja em um ambiente com sol, em lugares escuros ou até mesmo no espaço.

A parte do som também é caprichada. Seja nos efeitos sonoros, trilha ou dublagem, tudo bem feito, não deixando nada a desejar de um Triplo A. Ahhh, menção honrosa aqui para a dublagem: todas elas muito boas, principalmente a do Dr. Hakim que é um show a parte.

Em nossas lives, jogamos com o Playstation 5 e também com o Playstation 4 Pro. Em ambos os consoles não tivemos problemas de performance, nem de piora nos gráficos.

It Takes Two

Com It Takes Two, aprendemos que nenhum tipo de jogo é ultrapassado, o que precisa é ser reinventado. E foi o que Josef Fares fez, mostrando com o jogo que modo cooperativo é sim um estilo que ainda pode nos divertir muito.

E se It Takes Two é um dos melhores jogos de 2021 até este momento, muito se passa pelo capricho que todos tiveram com o game, desde seu roteiro, interpretação, ambientação e o mais importante, a diversão.

It Takes Two

Então, convide aquela pessoa especial, aquele seu amigo do peito, e passe horas se divertindo com Cody e May tendo que reaprender a se amarem, com a ajuda de Dr. Hakim.

Confira nessa playlist It Takes Two do início ao fim em 8 Lives:

It Takes Two

9.2

Nota

9.2/10

Positivos

  • Diversão
  • Gráficos
  • Dublagem
  • Mecânicas
  • Passe de Amigo

Negativos

  • Controles
  • Facilidade de alguns Chefões

Marcelo Rodrigues

Old Gamer, se aventurando no ramo dos video-games deste o Atari. Já foi só do lado "Azul" da Força, mas hoje distribui sua atenção para todas as plataformas. Apesar de jogar todos os estilos, Adventures e Plataformas ainda tem um lugar especial em seu coraçãozinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo