HardwareNotícias

Razer lista seis dicas para presentear um gamer com o mouse ideal para o seu estilo de jogo

Entre os principais atributos a se considerar no momento da compra estão design, ergonomia, sensibilidade e possibilidades de personalização

As festas de fim de ano se aproximam, e escolher o presente ideal para um gamer pode ser desafiador. A Razer, líder global em estilo de vida para gamers, compartilha seis dicas cruciais para selecionar o mouse perfeito, um periférico essencial para jogadores de PC. A escolha correta pode proporcionar uma vantagem competitiva, considerando fatores como design, ergonomia, sensibilidade e opções de personalização.

  1. Ajustes de DPI e sensibilidade para quem precisa de velocidade e precisão

O DPI [dots per inch, ou pontos por polegada, em tradução livre] representa a sensibilidade do sensor do mouse. Ao alterar esse recurso do periférico, os jogadores mudam instantaneamente a velocidade de movimentação do cursor, uma característica muito importante para o ajuste ideal em games que demandam precisão e agilidade – como os FPSs (first person shooter). Apesar de a maioria dos gamers profissionais jogarem a uma sensibilidade máxima de 1.600 DPIs, mouses de alta performance, como o Razer Basilisk V3 Pro, podem atingir incríveis 30.000 DPIs, o que, na prática, significa que esse produto tem uma tecnologia muito mais precisa em qualquer situação, mesmo quando os DPIs estão ajustados em níveis mais baixos. Portanto, quanto maior a capacidade de configuração da sensibilidade de um mouse, maiores serão a exatidão e rigor dos movimentos durante a partida.

  1. A forma de segurar o mouse

Saber o tipo de ‘pegada’ preferida de um determinado jogador pode ser considerado o primeiro passo para encontrar o periférico certo para ele. Cada usuário costuma segurar o mouse de uma forma, e entre as maneiras mais comuns de se fazer isso estão as chamadas pegadas claw (garra), palm (palma) ou fingertip (ponta dos dedos).

  • Palm: estilo em que o usuário apoia toda a palma da mão em cima do mouse, gerando menos desconforto e maior estabilidade no antebraço, que pode ser apoiado na mesa. Apesar de mais confortável, pode ser uma pegada menos precisa e rápida em jogos competitivos, já que os movimentos verticais dependem de mais velocidade para serem realizados com perfeição. Um ótimo exemplo de mouse para se utilizar a pegada palm é o clássico e icônico mouse da família Razer DeathAdder V3 Pro, que conta com excelente ergonomia, principalmente para pessoas destras que gostam de apoiar a maior parte da mão no mouse.
  • Claw: A característica mais marcante da pegada claw é a posição do dedo do meio e do indicador no mouse. Ao contrário da palm, na qual a mão e os dedos ficam totalmente esticados, aqui os dedos ficam semiflexionados, parecendo garras. Esse estilo permite maior movimentação do pulso quando comparado à pegada palm, mas também pode gerar maior cansaço após longas sessões. Para esse estilo, é preferível que o usuário busque mouses com a região traseira mais elevada, proporcionando assim maior área de apoio para a mão. Um ótimo mouse para pessoas que utilizam a pegada claw é o Razer Viper V2 Pro, que conta com design ambidestro e tem uma região traseira mais alongada, fazendo com que os dedos fiquem em uma posição mais confortável.
  • Fingertip: Mais leve e sutil quando comparada às duas primeiras, os usuários da pegada fingertip ficam com a palma da mão desencostada do mouse ao mesmo tempo em que as pontas dos dedos ficam em cima dos botões de clique. Ela é a mais precisa e rápida das pegadas, mas necessita de maior força dos usuários, o que pode acabar gerando desconforto e alguma lentidão nos movimentos. Nesse caso, a recomendação é escolher mouses mais leves. Para jogadores que utilizam a pegada fingertip, o Viper V2 Pro e o Viper Ultimate aparecem como ótimas sugestões devido aos seus tamanhos alongados e peso leve. Além deles, o Razer Orochi e o próprio Razer DeathAdder também aparecem como ótimas opções, sendo versáteis para aqueles que também utilizam mais de um estilo de pegada.
  1. Ergonomia

Qualquer jogador que pretenda passar muitas horas jogando em frente ao PC precisará de um mouse confortável e com design que facilite seu jogo. Claro que o encaixe perfeito de um periférico vai depender de uma série de questões, como o tamanho da mão do usuário, o tipo de pegada, se o jogador é destro ou canhoto, o estilo de game preferido, entre outros aspectos. Porém, alguns mouses são reconhecidamente mais ecléticos e populares também por essa característica.

Como exemplo, o mouse Razer Basilisk V3, preferido por milhões de pessoas em todo o mundo, apresenta um design ergonômico icônico para destros para suportar perfeitamente diferentes empunhaduras, enquanto seus numerosos botões programáveis 10+1 de fácil acesso permitem uma combinação infinita de comandos e macros.

  1. Conectividade

Com a evolução da tecnologia, naturalmente, os mouses ganharam novas opções de conectividade. Antes totalmente cabeados, os periféricos começaram a receber versões sem fio, impulsionadas por serem capazes de unir portabilidade, versatilidade e baixo tempo de resposta.

Além das mais tradicionais 2.4GHz e Bluetooth, a Razer trabalha com a tecnologia Razer™ HyperSpeed Wireless em diversos mouses, tais como o Razer DeathAdder V3 Pro, o Razer DeathAdder V2 X, o Razer Cobra Pro e o Razer Viper V3 HyperSpeed, entre outros. Desenvolvida para atender às exigências dos usuários de perfil competitivo, que precisam de máxima estabilidade, rapidez e portabilidade, ela é mais rápida que qualquer outra conectividade sem fio para mouses – segundo o TUV SUD PSB, um instituto de certificação reconhecido globalmente. Essa tecnologia reduz o tempo de envio de dados entre o mouse e o PC a partir de uma frequência de rádio ultrarrápida. Na prática, isso se reflete em uma gameplay com a menor latência de cliques em uma experiência sem fio. Para complementar a velocidade com precisão, a Razer HyperSeed Wireless utiliza tecnologia aprimorada de frequência adaptável, que faz uma varredura contra qualquer forma de interferência para que, mesmo havendo diversos dispositivos ocupando o mesmo sinal, o mouse não esteja entre eles e tenha estabilidade sem igual.

  1. Botões extras

A quantidade e a disposição dos botões de um mouse são aspectos muitos importantes para jogadores, especialmente os do gênero MOBA (multiplayer online battle arena), como League of Legends e DOTA 2, ou MMORPG (massive multiplayer online role playing game), como World of Warcraft, que costumam demandar o uso de mais comandos de ativação durante as partidas. Por isso, para esse estilo de jogo, uma ótima opção é o mouse Razer Naga V2 Pro, que vem com um conjunto de placas laterais magnéticas com 12, 6 e 2 botões, permitindo que os usuários se adaptem com até 22 controles programáveis. Os usuários desses tipos de jogos normalmente precisam de velocidade para pressionar diferentes botões de forma sequencial, com rapidez, e gerenciar diversas ações ao mesmo tempo, inclusive utilizando habilidades próprias de seus personagens. Além disso, os botões extras também são importantes devido à maior possibilidade de personalização. Teclas que antes eram pressionadas no teclado podem ser customizadas no mouse, proporcionando maior agilidade, conforto e uma vantagem competitiva real. A quantidade de botões ideal para cada jogador vai depender muito dos seus jogos favoritos e do nível de competitividade que deseja atingir.

  1. Software dedicado para personalização

Atualmente, a grande maioria dos mouses gamer conta com a possibilidade de customizar e mapear suas teclas via software dedicado, dando aos usuários mais exigentes a chance de adaptar as configurações às suas preferências e, consecutivamente, alcançar um desempenho superior. No segundo semestre de 2023, a Razer lançou uma atualização para o seu software gratuito Razer Synapse e, além de personalizar o desempenho do mouse e seus atributos físicos – como a iluminação RGB –, os jogadores de todo o mundo já podem configurar seus mouses, se compatíveis, de acordo com a tecnologia de frequência de resposta (polling) de 8KHz.

Saulo Fernandes

Publicitário de formação, editor do Gamers & Games desde 2015. Gosto de jogos de exploração, aventura e corrida, comecei a jogar no Master System, mas o meu console queridinho até hoje é o GameCube.
Botão Voltar ao topo