AnálisesPCPlayStation

Boundless – Um novo Minecraft? | Análise.

Analisado no PlayStation 4

Você fã de Minecraft? Então é bem provável que você goste e até se impressione com “Boundless”.

Quando se trata de um game neste estilo, logo de cara o efeito de comparação é inevitável, porém, algumas vezes isso pode até ser positivo e é exatamente o que ocorre com “Boundless”.

 

 

Como uma espécie de comunidade, umas das experiencias mais interessantes que você tem ao iniciar a jornada é ver que outros jogadores já estão com suas propriedades crescidas, prosperando entre eles de uma forma extremamente rica em detalhes e o fato do game ter diversos mundos acrescentam uma pitada de inovação. Sinta-se como se você estivesse acabado de se mudar para uma cidade grande em que você é apenas mais um vizinho recém-chegado do interior.

Ir de um planeta a outro e se deparar com cenários únicos, como nuvens, planícies, construções futuristas dentre outros detalhes e até mesmo poder explorá-los, faz de “Boundless” um sandbox mais encorpado em seu gameplay, ainda que falte um tutorial explicando de forma mais clara essa transição.

 

 

A premissa de que você consegue visitar outros mundos através de um simples portal, fazer negócios comerciais entre eles não é algo tão inovador no mundo dos games, porém isso sempre faz com que você queira explorá-los cada vez mais, um ponto positivo para a desenvolvedora Wonderstruck.

 

 

Na questão gráfica, temos algo parecido com outros games do gênero (tipo Minecraft), porém bem mais fluido e menos quadrado. Não que isso seja um parâmetro de jogo bom, mas não há como negar que visualmente e pelo fato das explorações intergalácticas, dá para passar horas jogando sem enjoar dos cenários que estão a sua volta.

Um ponto negativo a se destacar é a demora para que o game realmente aconteça. O inicio é meio monótono e apesar de ter um foco na coleta de recursos, a mineração e interação com os outros players, as primeiras horas podem ser bem desanimadoras para quem espera por algo com mais aventura.

 

 

Essa lentidão inicial tem sentido quando você habilita a árvores de habilidades do seu personagem, o qual permite a você dar atributos únicos e isso realmente faz toda a diferença na hora de comercializar itens, explorar lugares mais altos dentre outras situações, no melhor estilo RPG. As mortes também estão presentes, como é de se esperar, porém com uma penalidade mais amistosa, fazendo com que você perca apenas metade do loot.

 

 

Talvez a maior dificuldade do game seja exatamente onde os desenvolvedores poderiam brilhar, que é a trilha sonora. Após 30 minutos de jogo, você já irá se incomodar um pouco com músicas repetitivas e até fora de contexto.

 

 

Tendo a função de crossplay entre PS4 e PC, “Boundless” mostra a importância e benefícios que isso pode trazer aos players de um modo geral. É inovador em alguns aspectos e muito parecido com outros títulos, mas ainda sim merece sua atenção.

Boundless

7

Nota

7.0/10

Positivos

  • Diversidade de cenários
  • Árvore de habilidades
  • Crossplay entre plataformas

Negativos

  • Início de gameplay lento
  • Falta de tutorial
  • Trilha sonora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar