fbpx
AnálisesPCPlayStationXbox

Project Cars 3: Apesar de jogabilidade divertida, jogo fica em cima do muro | Análise

Num meio termo entre simulador e arcade, Project Cars 3 sofre com problemas.

Analisado no PlayStation 4


Project Cars 1 e 2 tem uma boa quantidade de fãs que preferem um game de corrida mais próximo a experiência de um simulador, sendo necessário não apenas correr, mas se preocupar com a pista, a manutenção do veículo, motor, pneu, pitstop, além de mais profundidade no modo carreira e uma infinidade de detalhes, tornando-se um game obrigatório para aqueles que buscam por realismo.

Ao ser anunciado, Project Cars 3 causou uma certa estranheza pois logo de início, algo estava um tanto quanto “diferente”. Já disponível, será que vale a pena investir seu suado dinheirinho nesta mudança? É o que você descobrirá nesta análise.

A produtora Slightly Mad optou por fazer de Project Cars 3 algo mais acessível e simples, provavelmente com o intuito de buscar novos players, isso pode ter sido além de uma escolha do estúdio, algo ligado a recém aquisição dele por parte da Codemasters, renomada empresa no ramo de jogos de corrida, mas um ponto que ficou confuso foi que mesmo com essa mudança de estilo, eles tentaram não se afastar daquilo que tornou a franquia famosa e talvez seja este seu maior defeito.

Diferente de Project 1 e 2, aqui temos algo mais simples e curto. Diga Adeus as longas corridas, o modo Kart realístico e todo o investimento na carreira até alcançar os níveis profissionais. Tudo se resume em uma escala ao qual você participa de eventos soltos e curtos. É divertido, simples e direto, porém faz mais sentido em títulos como Need For Speed ou Grid. Entre uma corrida e outra, você precisa completar algumas curvas perfeitas ou atingir a velocidade máxima em um determinado tempo e que flui de forma intuitiva e agrega ao gameplay.

Project Cars 3

Ao não abrir mão da mecânica principal da jogabilidade realística, criando um ambiente mais arcade fez com que o jogo ficasse sem identidade. Se ao menos o título fosse diferente, algo como Project Cars Arcade ou Project Cars Adventure, enfim, algo que não fosse comparado com seus antecessores. A dirigibilidade é um tanto quanto punitiva e não perdoa os erros quando você resolve frear em cima de uma curva ou até quando a inteligência artificial te joga para fora da pista, fazendo com que em certos momentos seja irritante.

Muitas dessas opções podem ser ajustadas nos menus de dificuldade, indo de novato até profissional, nos moldes que os Forza Horizon possuem, dando opções de customização como ligar ou desligar controles de tração e estabilidade, além de abrandar a dificuldade dos oponentes, mas ainda assim, em algumas situações é um tanto quanto inesperada a forma como o carro se porta na pista ou dos oponentes.

Os menus são diretos e sem rodeios, sendo 4 opções principais de gameplay, com uma grande variedade de opções além da personalização dos carros que está longe de ser algo complexo. Um dos pontos mais impactantes é realmente a questão gráfica. É uma mistura um tanto quando estranha, ao mesmo tempo que Project Cars 3 oferece visuais lindos, carros bem modelados, uma verdadeira atualização perante o segundo título, temos muitos problemas como texturas mal renderizadas, grande queda de frames, problemas notórios com o HDR, entre outros, algo que compromete muito para um jogo de corrida que chega quase no fim da geração de consoles, é como se de fato eles estivessem comprovando que os consoles atuais já deram o que tinham que dar.

Convenhamos, gráficos não são tudo em um jogo, mas aqui estamos falando aqui de uma “sequência” e o mínimo que se espera é que seja algo tão bom quanto ou até melhor. Para alguém que não conhece o primeiro e segundo game, a impressão é de que se trata apenas de uma simples atualização com qualidade mediana, mas aos que já acompanham a série, vão notar muitos dos problemas.

Ao menos a questão sonora está com uma qualidade alta e realmente traz uma imersão até melhor que o primeiro e segundo título. Joga-lo com um bom headset é fundamental para “salvar” de todo o resto.

Project Cars 3

Finalizando, Project Cars 3 é um titulo que ficou sem identidade. Não se entrega ao estilo arcade nem tampouco é um simulador. Falha em ambos, ainda que tenhamos aqui uma gameplay difícil, mas intuitivamente divertida, não se salva. Arriscar é preciso e em toda a história dos games é naturalmente normal que jogos sofram mudança. Vimos isso em God of War para PS4 ou Resident Evil 4, porém são exemplos bem sucedidos nessa mudança e nisso Project Cars 3 está a quilômetros de distância, ele diverte, é verdade, mas fica num meio termo que pode agradar muitos e desagradar outros muitos também.

Project Cars 3

6

Nota

6.0/10

Positivos

  • Menus simples
  • Efeitos Sonoros
  • Variedades de conteúdo

Negativos

  • Gráficos falhos
  • Queda constante de frame-rate
  • IA irritante

Thiago Bonito

Administrador, apaixonado por vídeo game, já sofri quando queimei meu Atari, super fã de jogos clássicos e economizando até a alma para comprar o PS5 no dia do lançamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo