fbpx
AnálisesPCPlayStationStadiaXbox

Monster Energy Supercross – The Official Videogame 4 – Uma derrapada na franquia | Análise

Jogo tem uma curva de aprendizagem longa e é voltado para os fãs.

Analisado no Xbox One X


Motocross é um esporte até bem popular no Brasil. Ok, agora nem tanto mais, mas no final dos anos 80 e começo dos anos 90, o esporte se tornou bem popular no país, nos apresentando nomes como Jorge Negretti, Rogério Nogueira, Nuno Narezzi entre outros.

Para quem já subiu em uma moto dessas, sabe o quão é difícil completar uma volta em um circuito com diversos obstáculos, sem contar a poeira (ou lama dependendo do tempo) e, lógico os adversários. Mas como tudo na vida, esse esporte evoluiu e hoje a sensação, principalmente nos Estados Unidos é o Supercross.

Mas agora, vamos abaixar o gate e mostrar o que achamos de Monster Energy Supercross – The Official Videogame 4, jogo produzido pela Milestone e que está disponível para Playstation, Xbox, Stadia e PC.

Se é para aprender, que seja na raça. É assim que, ao começar Monster Energy Supercross – The Official Videogame 4, somos literalmente colocados na pista, nos mostrando, em um tutorial, como devemos proceder para acelerar, frear, derrapar, equilibrar a moto usando o peso de nosso corpo entre outras coisas, tudo para que possamos brigar pela vitória.

E aí começa talvez o grande problema do jogo, a certeza de que você vai cair, cair, cair e cair de novo. Sim, a curva de aprendizagem de Monster Energy Supercross é bem longa. Até se acostumar com o controle, você vai sofrer bastante nas primeiras corridas, o que tira um pouco o brilho da experiência do jogo, onde tivemos que manter a calma e a persistência por várias horas até que realmente sentíssemos que havia melhora na pilotagem e, bem depois, nos resultados.

Essa dificuldade passa muito pelo fato de além de pilotarmos, termos que controlar a distribuição do peso de nosso corpo com o analógico esquerdo do controle. Isso porque esse equilíbrio é fundamental para que tudo saia da melhor maneira possível, seja um salto perfeito, uma curva bem realizada ou até mesmo o equilíbrio em um obstáculo. De certa forma, podemos ver isso como um ponto positivo, pela maior imersão, mas por outro lado, o da diversão, já não podemos dizer o mesmo, sem contar a física que também deixa a desejar.

Depois de um tempo, vamos pegando o jeito de como as coisas funcionam e aí começamos a nos divertir mais e competir melhor durante as corridas, mas percebemos que mesmo assim, os controles ainda precisariam ser mais afinados, principalmente para um jogo deste nível. Outra coisa que me chamou a atenção é que o começo do modo carreira também sofre demais com nossa performance ainda fraca, mas que sem nenhuma lógica somos convidados para equipes grandes e estabelecidas, mesmo com péssimos resultados. Também foi adicionado uma árvore de habilidades onde somos desafiados em diversas áreas como equilíbrio, curvas, etc, sendo recompensados quando atingimos uma marco no Diário.

Se o jogo por sí só não é um dos mais difíceis, ele ainda traz um item bem diferente de outros games: as lesões. Isso mesmo, dependendo de como foi sua corrida, o seu piloto pode sofrer lesões e o desempenho nas suas futuras corridas será prejudicado, ao menos que você pague um valor em créditos.

Mas calma, o jogo tem coisas boas sim. A personalização é muito bem feita. Podemos editar diversas coisas como o piloto, acessórios, as motos e a grande cereja do bolo, os editores de pistas, onde é possível criar níveis bem bacanas e desafiadores para compartilha-los com a comunidade. Tudo isso com a escolha de centenas de marcas que patrocinam verdadeiramente o campeonato, um deleite para os fãs. Fora tudo isso, o game traz mais de 100 pilotos incluindo o aguardado Ken Roczen e as 20 equipes que disputam o torneio.

O som do jogo foi muito bem trabalhado. O barulho das motos e da torcida são muito realistas o que dá uma grande imersão ao jogo. Mas fica aqui um aviso.: Infelizmente o jogo não possui uma trilha sonora licenciada, o que tira um pouco daquela sensação de quem já foi em uma pista de motocross, sendo substituída por uma trilha sonora que nem sequer chama a atenção.

Já em relação ao gráfico, se não é espetacular, também não compromete. Apenas notamos que alguns detalhes da pista poderiam ser melhor trabalhados visualmente. Aqui deixo apenas uma observação. O jogo foi testado em um Xbox One X e pode ser que nos consoles de nova geração ele se saia melhor graficamente.

Monster Energy Supercross – The Official Videogame 4 é um jogo feito muito para os fãs de motos e que gostem de um game de curva de aprendizado longo. O jogo é competente no que se propõe e tem seus aspectos positivos, mas que o sistema punitivo de aprendizagem pode afugentar um público mais abrangente. Se pensarmos que em Monster Energy Supercross 3 o jogo tinha se saído bem tanto na crítica quanto no público, infelizmente esse jogo acaba sendo um retrocesso na franquia.

Monster Energy Supercross - The Official Videogame 4

6.5

Nota

6.5/10

Positivos

  • Personalização
  • Som
  • Ambientação

Negativos

  • Curva de aprendizagem longa
  • Modo Carreira desbalanceado
  • Física deixa a desejar
  • Não tem trilha sonora licenciada

Marcelo Rodrigues

Old Gamer, se aventurando no ramo dos video-games deste o Atari. Já foi só do lado "Azul" da Força, mas hoje distribui sua atenção para todas as plataformas. Apesar de jogar todos os estilos, Adventures e Plataformas ainda tem um lugar especial em seu coraçãozinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo