AnálisesNintendoPCXbox

Aspire: Ina’s Tale – Um bom equilíbrio entre dificuldade e recompensa | Análise

O titulo foi desenvolvido pelo estúdio brasileiro Wondernaut Studio

Analisado no Nintendo Switch


Aspire: Ina’s Tale é um jogo de ação e aventura, com jogabilidade de plataforma com puzzles. O titulo foi desenvolvido pelo estúdio brasileiro Wondernaut Studio e publicado pela Untold Tales para o Nintendo Switch, Xbox One e PC pela Epic Games Store e Steam com lançamento no dia 17 de Dezembro de 2021.

Em Aspire: Ina’s Tale nós controlamos a própria Ina, uma jovem que estava aprisionada a adormecida numa Torre, até que após um ataque externo contra a Torre ela acorda e se da conta que passou muito tempo neste lugar. Na Torre Ina era considerada o coração, uma vez que tudo se alimentava de seus sonhos, agora, com sua consciência libera Ina pode explorar os ambientes em busca do seu objetivo máximo, escapar da Torre.

Aspire Ina’s Tale
Ina desperta após a Torre sofrer um grande ataque

O game oferece uma jogabilidade bastante fluida e intuitiva, Ina anda, salta, escala em beiradas para alcançar novas plataformas, se dependura e balança por cordas e cabos suspensos, pode empurrar ou puxar objetos e ainda carregar alguns outros menores.

Em sua vida passada, anterior ao fatídico aprisionamento na Torre, Ina era uma sacerdotisa Protetora de Kamiura, sendo assim ela tinha o poder de controlar alguns elementos. Aqui na Torre, Ina é capaz de controlar três espíritos, o da Energia, Movimento e Magnitude, os dois primeiros são fáceis de entender, o Espírito da Energia é capaz de energizar blocos, portas, lâmpadas, luminárias e até mesmo algumas máquinas.

Aspire Ina’s Tale
Ina é capaz de empurrar e puxar objetos, bem como se pendurar em correntes ou cordas suspensas

O Espírito do Movimento faz com que plataformas andem de um lado para o outro e para cima e baixo, sempre num caminho pré-determinado. Já o Espirito da Magnitude faz com que blocos possam ganhar volume em diferentes áreas, o redimensionamento pode acontecer nas quatro direções, mas alguns blocos são limitado em crescimento na vertical ou horizontal.

Mas não pense que uma vez que Ina recebe o dom de controlar esses espíritos ela pode usá-los livremente, não é bem assim, cada etapa do cenário possui uma espécie de barreira que impede que você vá acumulando os espíritos coletados anteriormente, por exemplo, numa área parece muito obvio que se você tivesse três espíritos de Energia tudo seria muito prático, é logico, são três pontos de conexão, três espíritos, mas é ai que os puzzles entram em cena de uma forma mais profunda, como as barreiras impedem o acúmulo de espíritos é necessário achar outros naquela nova área e resolver o quebra-cabeças com aquilo que você tem a sua disposição.

Aspire Ina’s Tale
Um puzzle com o uso do Espirito do Movimento, eles escapam da plataforma depois de um tempo

A junção desses três espíritos pode acontecer em alguns puzzles, infelizmente são poucos aqueles que usam os três juntos, ou de forma realmente direta, aplicar os três espíritos num só bloco ou puzzle, o uso de dois é mais comum.

A Torre onde Ina está aprisionada é dividida basicamente em quatro áreas, o Calabouço, os Pátios chamados de Cortes das Efígies e Arboreto dos Titãs e por fim, a Fábrica. Cada uma dessas áreas tem um visual próprio e desafios únicos usando os Espíritos que são encontradas nelas, com exceção da Fábrica, que não possui nenhum espirito novo e faz uso daqueles previamente dominados. Além disso, conhecemos alguns NPC’s bastante amigáveis pela jornada que vão responder a perguntas de Ina e até mesmo instrui-la de que passos dar.

Aspire Ina’s Tale
Não existe confronto direto com inimigos, apenas fuja deles

O jogo não conta com confrontos diretos contra inimigos, e apenas duas das quatro áreas possuem esse tipo de desafio, no Calabouço somos perseguidos por um inimigo que pode ser repelido pela luz, é tudo que você pode fazer correr e procurar uma fonte de luz para se proteger e na Fábrica nos deparamos com o guardião da Torre que vai fazer de tudo para atrapalhar nossa fuga.

Aspire: Ina’s Tale tem um visual muito bonito e cativante, o visual 2D do jogo tem boa ambientação e o uso de cores chapadas com muitos detalhes de plano de fundo em contraste com o primeiro plano cria um visual muito bonito, destaque para alguns pontos de iluminação que chama bastante atenção de forma positiva para a apresentação. A parte sonora é boa também, a trilha sonora é relaxante e não cansa, mesmo quando você empaca lindamente num puzzle. O jogo está localizado em Português do Brasil, o que era de se esperar, afinal ele foi produzido por um estúdio Brasileiro.

Aspire Ina’s Tale
Visual do jogo é bonito, mas em alguns pontos a resolução é baixa

Mas em contrapartida, Aspire: Ina’s Tale possui alguns probleminhas que podem irritar alguns jogadores, primeiro de tudo a movimentação de Ina não aprece muito sólida, em alguns momentos parece que ela está levitando, principalmente nos saltos, é comum errar a distância e a precisão deles, além disso, ela pode ficar presa em alguns pontos sendo necessário dar um passo para trás para ser possível pular ao se pendurar numa beirada. Outro ponto que pode irritar um pouco é o fato de que o mesmo botão que da o comando de “inserir” o espirito em algo também o remove, para adicionar apenas aperte, para remover segure apertado… Não vejo o porque disso, uma vez que existem botões sobrando no controle e não vi vantagem em deixar as duas funções no mesmo botão. Junto disso tem o caso resolução, isso pode ser que aconteça pelo jogo estar rodando no Nintendo Switch, mas algumas vezes a câmera da um zoom que mostra nitidamente que ela foi aproximada da imagem fazendo com que imperfeições e uma imagem sem nitidez seja apresentada na tela, pode ser que isso não ocorra em outras versões do jogo, mas nessa testada é notável.

Aspire Ina’s Tale
A Fábrica é a última área

No geral, Aspire: Ina’s Tale foi um jogo que me agradou bastante, eu particularmente joguei ele duas vezes antes de escrever esse texto de revisão, uma com foco mais crítico e outra apenas por diversão, pura e única diversão, no geral o título tem um bom equilíbrio entre dificuldade de plataformas e puzzles em relação ao que ele oferece de benefício, sendo assim, eu super recomendo jogo, apesar de curto seu preço é bastante camarada.

Confira na playlist abaixo o gameplay do início ao fim de Aspire: Ina’s Tale:

Aspire: Ina’s Tale

9

Nota

9.0/10

Positivos

  • Desafio
  • Os cenários
  • O visual

Negativos

  • A movimentação
  • A impressão de imagem embaçada
  • É curto

Saulo Fernandes

Publicitário de formação, editor da Gamers & Games desde 2015. Gosto de jogos de exploração, aventura e corrida, comecei a jogar no Master System, mas o meu console queridinho até hoje é o GameCube.
Botão Voltar ao topo