fbpx
AnálisesNintendoPC

Rogue Heroes: Ruins of Tasos – Quase um Zelda Co-op? | Análise

Jogar sozinho é bom, mas com amigos é melhor ainda.

Analisado no PC


Rogue Heroes: Ruins of Tasos é um jogo de ação e aventura com elementos rogue like e RPG, desenvolvido pela Heliocentric Studios e distribuído pela Team17 Digital. Foi lançado em 23/02/2021 e está disponível para PC e Switch.

Nos últimos anos a Team17 vem sendo responsável por publicar vários sucessos dentre eles temos títulos co-op como Overcooked, Overcooked 2, Moving Out, Golf With Your Friends e títulos rogue como Neon Abyss e Crown Trick. Rogue Heroes combina co-op com elementos rogue e RPG, em uma aventura que parece uma mistura dos Zeldas clássicos com Goof Troop do SNES.

Um botão para ataque, outro para defesa, um para habilidade especial e outro para itens, a movimentação, os comandos e vários elementos do mapa certamente foram inspirados nos primeiros Zeldas. Explorando a primeira masmorra você irá enfrentar inimigos, resolver pequenos puzzles, arrastar blocos e arremessar jarros, temos até uma versão de um gancho de arremesso, qualquer semelhança com Goof Troop é mera coincidência.

As semelhanças param por ai, pois após a primeira morte você é apresentado ao sistema rogue e sendo bem sincero o começo é bastante cansativo. Basicamente o início se resume a entrar na dungeon, avançar, morrer, renascer e gastar as gemas adquiridas em pequenas melhorias para o personagem ou construindo a cidade. As melhorias são pequenas e sempre aumentam de preço, mas não tem jeito, sem elas o progresso é quase impossível.

Tecnicamente toda vez em que morrer, gastar suas gemas e voltar para a masmorra, você terá o potencial de avançar um pouco mais, até chegar em um ponto onde um ou dois ataques serão o suficiente para te matar. O progresso inicial é lento e tudo fica bastante repetitivo, na minha opinião os sistemas rogue tiram um pouco do brilho do jogo, mas não desanime, assim que conseguir concluir a primeira masmorra, você ira liberar o herói cavaleiro, aí a dificuldade cai bastante.

Existem várias classes para se escolher, todas elas têm pontos de ataque, defesa e agilidade diferentes, bem como habilidades, indo desde a investida, invisibilidade, teleporte, esquiva, entre outros. Inicialmente temos somente o herói disponível, todas as outras classes devem ser liberadas, seja por alguma missão ou objetivo, contudo falta balanceamento entre elas.

Olha o início foi sofrível, todas as classes que tinha liberado eram fracas e o jogo começou a ficar repetitivo e sem graça, até o momento em que terminei a primeira masmorra e liberei o cavaleiro. O cavaleiro tem pontos de ataque e defesa altos, com mobilidade baixa, só que quem vai correr quando se pode passar por cima de tudo que está na sua frente. Como disse, falta balanceamento, a dificuldade caiu bastante com essa nova classe, porem o jogo foi ficando um pouco sem graça, você possui todo um arsenal de classes disponível, mas não tem incentivo para usá-las.

Graficamente Rogue Heroes é bonitinho, porem falta consistência em alguns lugares. Tudo é feito em pixel art e muita coisa é bem detalhada, seja os efeitos das sombras ou o movimento das árvores ao vento, temos vários detalhes espalhados pelas construções, monstros e personagens. Tudo é bem feito no mapa inicial, entretanto ao conseguir avançar para outras partes do mapa, fica nítido que a qualidade da arte cai um pouco, não é nada que incomode, mas é perceptível.

Rogue Heroes Ruins of Tasos

Jogar sozinho é bom, mas com amigos é melhor ainda. Além do modo single player, o jogo possui suporte para até quatro jogadores, nos modos local, online ou via remote play. Testamos todos os modos de jogo, e o melhor modo cooperativo sem dúvidas é via Steam Remote Play, onde é necessário somente uma cópia do jogo e não tivemos nenhum problema de conexão. O modo online já é uma experiência intermediaria, além de problemas de sincronia entre os jogadores e de conexão serem comuns, se um jogador pausar o jogo dele, ele irá pausar o de todos, definitivamente só jogue co-op com amigos ou é quase certeza que você irá passar raiva.

Rogue Heroes: Ruins of Tasos é um jogo divertido para se jogar com amigos e enjoativo e repetitivo se jogado solo. Definitivamente este seria um título bem melhor sem os elementos rogue, o jogo seria mais interessante se os upgrades fossem adquiridos através de exploração ou missões e não em um loop de vida e morte. O preço cobrado é um pouco salgado pelo que o jogo entrega, portanto eu o recomendo somente em promoção e se for jogar com amigos.

Confira o vídeo de gameplay com as primeiras impressões de Rogue Heroes: Ruins of Tasos:

Confira o vídeo em live cooperativo com 4 jogadores:

Rogue Heroes: Ruins of Tasos

7.8

Nota

7.8/10

Positivos

  • Divertido
  • Nostálgico
  • Steam Remote Play

Negativos

  • Repetitivo
  • Falta balanceamento de classes
  • Online com Problemas

Jeferson Vasconcelos

PC Gamer desde os anos 90, entusiasta de VR que não consegue ficar sem jogar os velhos consoles. Aguardando há anos pelo próximo Lineage

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo