AnálisesPCVR

Ragnarock – Bata os tambores e liberte o seu viking interior | Análise

Ragnarock tem potencial e com alguns ajustes este pode se tornar uma das referências quando o assunto é ritmo em VR.

Analisado no PC usando Windows Mixed Reality


Ragnarock é um jogo de ritmo musical desenvolvido e distribuído pela WanadevStudio e lançado em acesso antecipado para PC dia 17/12/2020.

A realidade virtual proporciona uma imersão fantástica e os jogos de ritmo musical se encaixaram como uma luva nessa plataforma. Por causa do VR ao invés de apertar botões em um controle, o jogador tem a opção de cortar blocos com sabers de luz no popular Beat Saber, ou acertar e seguir o caminho de esferas no fantástico Synth Riders.

Ragnarock

Ragnarock chega com uma proposta um pouco diferente, aqui você é o capitão de um navio de “corrida” viking e o responsável por bater os tambores e ditar o ritmo da corrida, sempre acompanhado de muito rock celta e power metal.

A jogabilidade é a tradicional de jogos de ritmo só que adaptada para a temática. O jogo traz runas, quatro tambores e dois martelos, tudo é muito simples e basicamente as runas vão aparecendo de acordo com o ritmo da música e o jogador precisar bater no tambor assim que a runa estiver em cima dele. Cada acerto gera energia e após alguns é possível martelar um escudo que faz o navio se mover mais rápido e dobra os pontos.

Ragnarock

Apesar de parecer fácil e simples, este é um jogo que requer uma certa pratica, principalmente pela posição de alguns tambores. Os controles são bons e existem várias opções de configuração sendo possível ajustar a altura e distância dos tambores, os ângulos dos martelos e a posição dos escudos. Infelizmente essas opções não são o suficiente e não podemos ajustar o ângulo ou tamanho dos tambores, assim acertar os dois tambores que ficam nas extremidades acaba sendo uma tarefa um pouco frustrante, isso porque muitas vezes eles estão fora do campo de visão.

Para amenizar essa situação, a área de acerto dos tambores laterais é maior e como eu disse, acerta-los requer um pouco de pratica. É possível se acostumar, porem esse problema pode causar uma frustração inicial, principalmente nos jogadores mais perfeccionistas, uma opção para pelo menos diminuir o tamanho dos tambores seria bem-vinda.

Os gráficos são simples e a ambientação é boa, temos vários efeitos de iluminação, mas o melhor de tudo aqui é a trilha sonora.

Ragnarock é um jogo de ritmo e sua trilha sonora é em grande parte composta de rock, mais precisamente de rock celta, power metal e muito viking metal. As músicas foram muito bem escolhidas e é extremamente divertido acompanhar a bateria, é claro que o jogo não se resume a somente músicas pré-definidas, sendo possível martelar o seu som favorito na opção de custom track.

Ragnarock

Se é divertido conduzir o navio no modo solo, tudo fica mais emocionante no modo multiplayer. Ragnarock traz um modo “PVP” de até 6 jogadores competindo para saber quem será o mais rápido, o lado ruim deste modo é que por ser um título recente não é fácil de se de se achar jogadores.

Ragnarock tem potencial e com alguns ajustes este pode se tornar uma das referências quando o assunto é ritmo em VR. Eu me diverti bastante e posso recomenda-lo a todos que gostem de jogos de ritmo musical e a todos que querem algo diferente. O preço cobrado é camarada e atualmente o título se encontra em promoção fazendo parte de um bundle composto por Ragnarock e Synth Riders, assim se você não tiver os dois, pode comprar que é diversão garantida.

Confira no vídeo de gameplay as primeiras impressões e de Ragnarock:

Ragnarock

8.5

Nota

8.5/10

Positivos

  • Divertido
  • Trilha Sonora
  • Preço
  • Diferente

Negativos

  • Ainda em acesso antecipado
  • Tambores precisam de ajustes
  • Pouco conteúdo

Jeferson Vasconcelos

PC Gamer desde os anos 90, entusiasta de VR que não consegue ficar sem jogar os velhos consoles. Aguardando há anos pelo próximo Lineage
Botão Voltar ao topo