AnálisesNintendoPlayStation

Cotton Reboot! – Quando um jogo é revitalizado com melhorias bem vindas | Análise

O novo jogo é feito com base na versão aprimorada lançada nos computadores Sharp X68000

Analisado no PlayStation 4 Pro


Cotton Reboot! é uma remasterização/remake do clássico jogo de tiro side-scroolling da franquia Cotton, ele foi publicado pela ININ Games, foi produzido pela BEEP com base no jogo original de arcades de 1991 feito pela Success e está disponível para PlayStation 4 e Nintendo Switch.

Como todo jogo neste estilo a história não é muito o forte, ainda mais se tratando de um jogo clássico dos arcades onde a meta era a maior pontuação, mas Cotton Reboot! segue a mesma história do título original, Cotton – Fastastic Night Dreams, nesse mundo o dia foi tomado por forças do mal, o sol não nascia mais, o mundo foi consumido pelas travas e só existe uma pessoa que é capaz de deter esse mal, nossa querida bruxinha Cotton! Mas existe um problema, ela não está nem se dando conta de todas essas trevas, ela está tranquila seguindo seu rumo, quando subitamente uma fada vem pedir socorro e conta sobre todo o ocorrido, mas nem assim Cotton decide ajudar, tudo muda de figura quando a fada Silk revela que ao derrotar os chefes demoníacos a bruxa poderia ficar com deliciosos “Willows” (esse editor que está escrevendo pesquisou bastante o que seriam esses supostos doces, mas não consegui encontrar referências suficiente do que seja), com isso, ela decide partir ao ataque contra os inimigos.

Cotton Reboot!

Cotton Reboot! trás no pacote o jogo original em sua versão aprimorada para os antigos computadores Sharp X68000, digo aprimorada pois essa versão foi lançada com base no original de arcade mas com melhorias significativas, é importante destacar isso uma vez que esse novo lançamento parte desta versão e o melhora em tudo.

A jogabilidade é o ponto de partida, Cotton voa pelos cenários em sua vassoura e sempre com uma fada (a Silk) em sua companhia, ela possui o ataque combinado de tiro e disparo de bombas, além disso, outro botão dispara um ataque especial, que não pode ser escolhido, mas ele vai depender da cor do ultimo cristal coletado que foi dropado de algum inimigo, o vermelho solta um dragão de força, o azul um raio poderoso e assim continua…, junto disso temos o multiplicador de pontuação, que funciona de forma completamente diferente ao do título em que ele se baseia, mas vou falar disso mais a fundo adiante, mais fadas podem ser adicionadas como companhia, nos estágios existem inimigos que parecem um cofre, eles costumam guardar fadas que são libertadas quando destruídos, as fadas podem ajudar contra alguns inimigos, principalmente os que vem por trás ou estão em cantos mais difíceis de acessar, o jogo tem 7 níveis, a dificuldade é bem balanceada e os continues são infinitos.

Cotton Reboot!

O sistema de pontuação foi amplamente alterado nesta nova versão, ele também é influenciado pelos cristas, que, agora ficam flutuando no cenário e vão sendo “engolidos” pela tela conforme ela progride, na versão do X68000 você atirava nesses cristais e eles iam mudando de cor e acumulando pontuação, mas iam caindo pelo cenário caso você não os pegasse, nesta nova versão além de atirar neles para acumular pontos, o amarelo funciona como um prisma luz, mudando a direção do seu tiro e duplicando ele em direções distintas do original, além de potencializar o tiro isso faz com que uma barra de nível ser acumulada, quando disparado em poucos segundo todos os tiros que passarem pelos cristais vão sendo multiplicados em 32x, 64x, 128x… e por ai vai, isso continua até que você use um continue ou deixe de acumular a barra verde por algum motivo.

O título ainda oferece outros modos de jogo, além do novo chamado de “Arrange”, existe o original X68000 e ainda o modo “time attack”, com opções de jogo para 2 ou 5 minutos, não tem segredo, atinja o máximo de pontuação nesse tempo e classifique bem no ranking online, a sua pontuação no modo Arrange também será compartilhada nesse ranking.

Cotton Reboot!

Visualmente o jogo é bonito, bem trabalhado, tanto os personagens como os inimigos foram refeitos com base na arte original, as cutscene foram todas retrabalhadas com um lindo visual de anime, ambas as personagens – Cotton e a fada – são extremamente caricatas. A parte sonora também foi retrabalhada, com remixagens das faixas originais e as músicas dão um bom ritmo ao jogo. O game possui vozes em japonês e legendas em inglês ou francês, nada além disso, mas isso não impede ninguém de jogar.

Como eu falei anteriormente a dificuldade não é um problema sério, mas ela aumenta de forma bastante intensa do quarto estágio em diante, alguns inimigos tem o posicionamento prejudicial e servem apenas armadilhas desleais colocadas ali para roubar vida e pontuações do jogador, além disso, em alguns momentos fica quase impossível de se esquivar de projéteis pelo número absurdo de coisas acontecendo simultaneamente na tela, slowdowns não foram percebidos durante o gameplay na versão analisada, mas é possível que ocorra.

No geral, Cotton Reboot! é um titulo gostoso de jogar, principalmente se você colocar no easy e só sair limpando a tela com toda a força do mundo, agora, se for de fato atrás de pontuações, ranking ou quiser jogar de forma mais série, se prepare. A inclusão da versão original também é um agrado bem-vindo, uma vez que serve como base para comparar as melhorias, mas também é um jogo com diferenças suficientes que pode ser interessante de ser jogado, com tudo isso dito, afirmo que o jogo vale a pena para aqueles que gostam do estilo, outros que tem dúvidas vale a pena esperar uma promoção, porque o preço aqui no Brasil não ajuda.

Confira um vídeo gameplay de Cotton Reboot! com um pequeno plus do título do X68000:

Cotton Reboot!

7.5

Nota

7.5/10

Positivos

  • Bastante divertido
  • Os gráficos ficaram bons
  • A trilha sonora também
  • As animações são muito boas

Negativos

  • O preço
  • A dificuldade pode ser um problema
  • Não tem como escolher a magia especial

Saulo Fernandes

Publicitário de formação, editor da Gamers & Games desde 2015. Gosto de jogos de exploração, aventura e corrida, comecei a jogar no Master System, mas o meu console queridinho até hoje é o GameCube.
Botão Voltar ao topo