AnálisesNintendoPCPlayStation

The Centennial Case: A Shijima Story – Quando a jogabilidade é a culpada | Análise

The Centennial Case: A Shijima Story é um FMV dirigido por Koichiro Ito (Designer de cenário de Metal Gear Solid V) e produzido por Junichi Ehara (NieR:Automata, BABYLON’S FALL).

Analisado no PC


The Centennial Case: A Shijima Story é um “jogo” FMV desenvolvido e distribuído pela Square Enix e lançado em 12/05/2022 para PC, Playstation 4 | 5 e Switch.

Full-motion video ou “FMV”, é um formato de jogo eletrônico que utiliza vídeos gravados ao invés de modelos em 2D e 3D, aqui a narração e a jogabilidade acontecem através da combinação dos vídeo com pausas e escolhas, onde o jogador pode decidir o rumo da história ou precisa coletar informações para tomar uma decisão. Este formato de jogos eletrônico foi introduzido no final dos anos 80 e acabou ganhando uma certa popularidade durante os anos 90, onde o jogo “Night Trap” foi o foco central das reuniões em1993/94 do Senado dos Estados Unidos com representantes da indústria para se discutir a violência nos jogos e os impactos percebidos no público jovem.

The Centennial Case A Shijima Story

The Centennial Case: A Shijima Story é um FMV dirigido por Koichiro Ito (Designer de cenário de Metal Gear Solid V) e produzido por Junichi Ehara (NieR:Automata, BABYLON’S FALL). O título tem uma história interessante, contudo peca no aspecto da jogabilidade e a experiência final não é a de um jogo e sim de um filme com pausas forçadas.

Sem Spoilers, Haruka Kagami uma escritora focada no gênero de mistérios, Eiji Shijima um cientista e um dos herdeiros da família centenária Shijima, a provável chave para a juventude eterna, estes são os elementos que compõem a trama de Centennial Case. A trama do título se baseia na personagem principal Haruka que é convidada por Eiji para investigar misteriosos assassinatos envolvendo membros de sua família, toda a história é dividida em capítulos e você precisará investigar crimes ocorridos entre os períodos de 1922 a 2022.

The Centennial Case A Shijima Story

No quesito história, o jogo tem uma trama interessante. Como todo FMV, somos apresentados a um filme “live action” que foi muito bem feito, temos boas atuações, cenários bem construídos, mas este é mais um título onde é preciso jogar com legendas e áudio original em japonês, pois a dublagem em outros idiomas é terrível.

No quesito jogabilidade é onde o jogo não vai bem o que acaba afetando a experiência. A história de Centennial Case é contada em formato de capítulos, temos 6 capítulos principais e cada um destes é dividido em 3 partes. A jogabilidade é dividida em duas partes, a primeira consiste em assistir a cada um destes segmentos e coletando informações para tentar formar hipóteses do que aconteceu e desvendar o culpado do crime no final do capítulo. Durante cada cena você precisará tomar algumas “decisões” que nada mais são do que escolhas para tentar deixar o jogador preso na história e de tempos em tempos é preciso apertar um botão de ação para tentar coletar alguma pista que aparece de maneira aleatória durante o filme, fazendo você perder a atenção.

The Centennial Case A Shijima Story

Na segunda parte é preciso resolver um puzzle utilizando as informações coletadas e tentar descobrir o culpado, é aqui onde temos alguns problemas. Basicamente na etapa de puzzles você só precisa fazer o movimento de “arraste e solte”, colocando os bloquinhos das pistas em uma ordem correta para avançar na história e é aí que os problemas começam. Infelizmente não existe muita lógica nestes puzzles e a maior parte das pistas é mostrada somente para colocar o jogador em um caminho errado fazendo você perder tempo, algo que é extremamente frustrante quando você precisa criar um sumário da sequência dos eventos, onde basta somente uma escolha errada para te forçar a ter de recomeçar.

Se a parte de puzzles já é frustrante, desvendar o culpado é quase uma tarefa de adivinhação. Por algum motivo os desenvolvedores decidiram não incorporar vários detalhes e pistas cruciais para a resolução do caso durante a etapa de puzzles, onde estamos tentando criar hipóteses e dependendo das suas escolhas durante os diálogos você não terá acesso a essas informações e precisará reassistir as cenas para tentar encontrar estes detalhes. Para piorar a situação existe uma falta de lógica terrível com várias escolhas propositalmente similares e outras não refletindo os acontecimentos ou as falas dos personagens, o resultado disso é um vai e vem onde você perde muito tempo voltando e revendo cenas, o que é bastante frustrante e acaba fazendo com que o jogo se torne cansativo.

No final The Centennial Case: A Shijima Story traz uma experiência diferente que funciona melhor como filme/série do que como jogo, apesar de uma trama interessante e uma boa fotografia, infelizmente os elementos que compõem a jogatina são frustrantes e só te fazem perder tempo e o interesse de continuar. O preço cobrado é bastante salgado e eu prefiro recomendar este título somente para quem é fã do gênero e somente em uma promoção generosa.

Confira neste vídeo de gameplay o prólogo e começo do primeiro capítulo:

The Centennial Case: A Shijima Story

6.8

Nota

6.8/10

Positivos

  • Fotografia
  • Diferente
  • Trama

Negativos

  • Preço
  • Frustrante
  • Tedioso

Jeferson Vasconcelos

PC Gamer desde os anos 90, entusiasta de VR que não consegue ficar sem jogar os velhos consoles. Aguardando há anos pelo próximo Lineage
Botão Voltar ao topo