AnálisesPCPlayStationXbox

Destiny 2: A Forma Final – Será este realmente o final? | Análise

A história no geral é boa, sendo uma das melhores quando comparadas com as últimas expansões...

Analisado no PC


Destiny 2: A Forma Final é a mais recente expansão de Destiny 2, desenvolvida e distribuída pela Bungie e lançada em 04/06/2024 para o PC e consoles.

Trazendo o desfecho para o conflito entre luz e treva, A Forma Final é uma DLC que revitaliza mais uma vez a experiência do título que já está chegando aos seus 7 anos de serviço. A DLC chega com melhorias e modificações nos sistemas de jogo, mas ainda mantendo alguns dos problemas que incluem a falta de melhorias de qualidade de vida.

Destiny 2 A Forma Final

Sem spoilers, em A Forma Final temos o desfecho para o conflito vivido entre a luz e a treva, uma aventura onde iremos rever velhos amigos, fazer novas alianças em uma jornada cheia de referências aos eventos passados que incluem os do primeiro jogo para finalmente confrontarmos a Testemunha. A história no geral é boa, sendo uma das melhores quando comparadas com as últimas expansões, as missões são interligadas e a campanha é direta, assim não se perde tempo com atividades secundárias, essa saga finalmente chega a um fim definitivo sem deixar pontas soltas, mas com aberturas para futuras sequências que não irão seguir mais o conceito de expansão, sendo que o jogo agora irá trazer novos conteúdos através de episódios com três já confirmados para esse ano.

Diferente de outras expansões que trouxeram mais história do que mudanças na jogabilidade, essa nova expansão chega revitalizando a jogatina com diversas mudanças, adições e retornos. De cara nós já temos a grande novidade que é a adição da nova subclasse Prismática, essa que é uma mistura de todas as outras e você literalmente pode mesclar habilidades das subclasses, solar, vácuo, arco, estase e filamento, em um conjunto híbrido que abre diversas possibilidade de combinações. A nova subclasse prismática também chega trazendo um novo super único para cada uma das classes e um modo adicional “prismático” que pode ser carregado ao entrar em contato com fissuras nas atividades ou causando danos com armas de elementos da luz e treva. Esse modo “prismático” altera as habilidades por um tempo determinado e é de suma importância para quebrar os novos escudos “prismáticos” de certos inimigos, sem ele esses ficam invencíveis e você precisa se virar.

Destiny 2 A Forma Final

Além da nova subclasse, também temos novos inimigos, os “Horrores”. Os horrores são os servos da Testemunha e essa nova facção chega adicionando cinco novos tipos de inimigos que no geral são mais resistentes do que os outros, eles utilizam habilidades elementares e geralmente deixam uma surpresa ao morrerem. Esses novos inimigos não são tão abundantes, aparecendo em quantidades específicas em determinados confrontos, mas geralmente sempre acompanhados de escudos prismáticos e seus campeões/chefes causando bastante dano aos guardiões.

Os horrores são comumente encontrados no novo mapa, o Coração Pálido. O Coração Pálido é o novo mapa de jogo e também o local onde os eventos dessa expansão irão se passar, este aparenta ser o maior mapa lançado até o momento, temos diversas áreas interconectadas por caminhos e pontos de teleporte. O novo mapa traz diferentes biomas e perigos, mas apesar de ser interessante ele sofre com a escassez de jogadores e com a limitação dos sistemas de jogo, assim caso não tenha um grupo de amigos, você dificilmente irá encontrar outro jogador durante a exploração desse mapa, pelo menos essa foi a nossa experiência após terminar a campanha.

Destiny 2 A Forma Final

Como toda expansão, essa também adiciona novas armas e itens exóticos ao jogo, porém agora temos o retorno de velhas companheiras. Em 2020 os desenvolvedores introduziram o “sunset” de armas ao jogo que basicamente limita à luz das armas de expansões passadas, depois de anos de reclamações a Bungie finalmente eliminou esse sistema estupido e todas as armas limitadas voltaram a ativa a partir dessa nova expansão, fato este que é legal mas chegou tarde demais, pois as novas armas introduzidas acabam criando combinações bastante superiores às antigas no PVE, já no PVP tudo é diferente e provavelmente veremos o retorno de velhas conhecidas dos jogadores.

Outra mudança foi a substituição do sistema de contratos da vanguarda, artimanha, crisol e outros pelo sistema de desbravamento. O desbravamento é o novo sistema de progressão para conseguirmos os desejados engramas poderosos semanais, ele funciona como uma sequência de objetivos com vários caminhos para se chegar ao engrama, com todos sendo gerados de forma aleatória e resultados após você conseguir o engrama. Apesar de interessante, esse sistema pode acabar sendo frustrante para a maioria dos jogadores, justamente pois todos os modos são misturados e independente da sorte, geralmente o jogador será forçado a ter de jogar um modo de jogo que não gosta, seja PVP ou PVE com o adicional de perder sua sequência de vitórias ao jogar o outro modo.

A Forma Final em Destiny 2

Quem joga Destiny 2 sabe que o jogo sofre com a falta de melhorias de qualidade de vida e essa expansão tenta corrigir um pouco esse quesito. Ao terminar a história o jogador precisará explorar o novo mapa para liberar os fragmentos da subclasse prismática e a boa notícia é que você só irá precisar fazer isso uma única vez, ao invés de ter de comprar os fragmentos em cada um dos personagens, agora eles são liberados para toda a conta, o que é muito bem-vindo e te salva um pouco de tempo. Outra melhoria é o nivelamento de luz para os jogadores e agora o jogo balanceia a luz dos jogadores novatos, equiparando ela a média do grupo, ou seja, todo mundo agora consegue dar dano e ninguém será mais carregado pelo grupo por causa da luz baixa, além disso as campanhas terão dificuldade e luz fixa para sempre trazer um certo desafio. Infelizmente essas são as únicas novidades relacionadas a melhorias de qualidade de vida e ainda é necessário fazer toda a história principal com cada um dos personagens o que consome muito tempo e não é nada divertido.

No final, Destiny 2: A Forma Final é uma boa expansão, temos um desfecho legal para a história com várias novidades e melhorias, sendo essa uma adição muito bem-vinda para quem gosta do jogo. O preço cobrado é salgado, pois se quiser a experiência completa será necessário adquirir o passe anual, por este motivo eu prefiro recomendar para os fãs da franquia, do contrário é melhor esperar por uma promoção.

Confira no vídeo abaixo um trecho de gameplay de Destiny 2: A Forma Final:

Destiny 2: A Forma Final

8.8

Nota

8.8/10

Positivos

  • História
  • Nova Subclasse
  • Novos inimigos
  • Novas mecânicas

Negativos

  • Sistema de desbravamento
  • Ainda faltam melhorias de qualidade de vida
  • Mapa vazio
  • Preço

Jeferson Vasconcelos

PC Gamer desde os anos 90, entusiasta de VR que não consegue ficar sem jogar os velhos consoles. Aguardando há anos pelo próximo Lineage
Botão Voltar ao topo