fbpx
AnálisesPCPlayStationStadiaXbox

Destroy All Humans!: O retorno dos homenzinhos “verdes” em um remake fiel | Análise

As missões são divididas entre furtivas e destruição e em ambas você dará boas risadas

Analisado no PC


Destroy All Humans é um jogo de ação e aventura desenvolvido pela Black Forest Games, Pandemic Studios e distribuído pela THQ Nordic. Foi lançado em 28/07/2020 com versões para PC, PS4, Stadia e Xbox.

Se você teve um PS2, provavelmente já jogou ou já ouviu falar de Destroy All Humans. O primeiro jogo da franquia foi lançado em 2005 para PS2 e Xbox original e rendeu algumas continuações, que não tiveram sucesso, com o último jogo sendo lançado em 2008. Em 2019 a THQ anunciou o remake do primeiro jogo e já posso adiantar que é assim que um remake deve ser feito.

Destroy All Humans!

Destroy All Humans é um remake completo do primeiro jogo, todos os personagens, estágios e assets foram recriados do zero utilizando ferramentas e hardware atuais. A Black Forest Games fez um belo trabalho, recriando toda a história fielmente, desde os personagens, diálogos, missões e até as cutscenes. Tudo é bem semelhante ao primeiro jogo e a única diferença é a jogabilidade que está mais atual.

Para quem não conhece a história, aqui vai um resumo. O excesso de clonagem fez com que o DNA dos Furons começasse a se degradar. Para manter a imortalidade da raça que foi obtida pela clonagem, Pox um cientista Furon de alta patente, envia o clone Crypto 136 para Terra com a missão de recuperar DNA Furon puro que foi armazenado aqui a muitas eras atrás. Crypto 136 chega na terra na década de 50 e é capturado por militares americanos. Pox cria um novo clone Crypto 137 ou Crypto para os conhecidos e dessa vez acompanha o novo clone para garantir o sucesso da missão.

Destroy All Humans!

Nós jogamos com Crypto e teremos de completar várias missões de reconhecimento e destruição, para recuperar o DNA Furon e impedir que os humanos consigam extrair e utilizar a tecnologia Furon adquirida no acidente de Crypto 136.

Para completar suas missões, Crypto possui um grande arsenal a sua disposição, nos equipamentos temos um jetpack, patins para correr, além de seu disco voador e várias armas como, arma de choque, um raio desintegrador e até uma sonda anal. Mas isso não é tudo, Crypto também possui várias habilidades psíquicas, ele pode levitar objetos e pessoas, controlar pensamentos, se disfarçar utilizando o “Holozé” e até explodir a cabeça de humanos.

Destroy All Humans!

Na dúvida culpe os comunistas, o jogo é recheado de humor com várias sátiras, direcionadas aos supostos avistamentos de óvnis e a guerra fria. As missões são divididas entre furtivas e destruição e em ambas você dará boas risadas, seja arremessando uma vaca radioativa ou ouvindo aos pensamentos peculiares dos habitantes.

Os visuais estão lindos, o remake consegue capturar a mesma atmosfera do primeiro título, só que agora com modelos atuais. Existem vários detalhes espalhados pelo cenário, temos pessoas trabalhando, vários utensílios nas casas e o que mais achei interessante são os interiores das lojas bem detalhados, que deixam a cidade mais viva.

Destroy All Humans!

Como nenhuma invasão planetária é perfeita, Destroy All Humans sofre com alguns pequenos problemas. A começar pela mira que é automática e geralmente trava no alvo errado, principalmente quando se tem vários inimigos juntos. Existem pequenos bugs que forçam você a recomeçar a missão do início, um deles é o Crypto simplesmente sair voando para o alto após uma explosão ou um simples disparo no chão, essa situação sempre faz a missão falhar, porém é rara de acontecer.

A maior dor de cabeça foi o bug onde inimigos aparecem na sua frente após o loading, esse problema aconteceu várias vezes, principalmente nas missões furtivas que falhavam automaticamente, esse bug geralmente acontecia nos checkpoints e não tinha o que fazer, a única solução foi recomeçar as missões do zero. Nenhum dos bugs impede o progresso, eles só vão fazer você recomeçar algumas missões, mas no geral o jogo rodou perfeito sem maiores problemas.

Destroy All Humans!

Destroy All Humans! é o exemplo de como um remake pode ser feito mantendo a fidelidade do primeiro título, temos a história original com gráficos e jogabilidade melhorada. O jogo continua curto, você irá levar entre 5 e 6 horas para terminá-lo, o que na minha opinião é um bom tempo para a aventura acabar antes de ficar repetitiva. Infelizmente o preço cobrado é um pouco salgado pelo tempo de jogo oferecido, assim se você se interessou eu recomendo esperar por uma promoção.

Confira o vídeo com o gameplay de Destroy All Humans!:

Destroy All Humans!

8.5

Nota

8.5/10

Positivos

  • Divertido
  • Gráficos
  • História

Negativos

  • Preço
  • Alguns Bugs

Jeferson Vasconcelos

PC Gamer desde os anos 90, entusiasta de VR que não consegue ficar sem jogar os velhos consoles. Aguardando há anos pelo próximo Lineage

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo