fbpx
AnálisesPCPlayStationXbox

Dragon Ball Z: Kakarot – É como jogar o anime | Análise

Apesar de Bugs, jogo agrada a fãs ou não de Dragon Ball Z.

Analisado no PlayStation 4


Sabe aquela sensação de nostalgia? Então, se você é fã da série Dragon Ball Z, pode ter certeza de que ela virá à tona. 

A Bandai Namco sabe que tem em mãos uma franquia milionária e com fãs espalhados por todo o mundo, em especial a série “Z” que fez muita gente matar aula pra chegar mais cedo em casa apenas para acompanhar os episódios.

O mais impressionante em Dragon Ball Z: Kakarot, foi o cuidado com que os desenvolvedores tiveram com a história do game. Casando com perfeita harmonia, diversas passagens do desenho estão ambientadas no gameplay, fazendo com que você seja literalmente jogado para dentro da narrativa. Situações vistas no desenho de uma forma resumida, criam vida no game, como por exemplo a hilária parte em que tanto o Piccolo quanto o Goku são obrigados a tirar a carta de motorista. Outros personagens tiveram uma abordagem mais completa, sabiamente definida nas missões secundarias, fazendo com que nenhum deles sejam esquecidos ou deixado de lado. 

Se você não é fã de Dragon Ball ou nunca ouviu falar (algo bem difícil de acontecer), também é possível apreciar o game e também aprender sobre a saga “Z”, uma vez que o game conta com inúmeros itens colecionáveis que contam de forma nostálgica diversas passagens da história. Outra coisa bacana é o narrador, nos mesmos moldes do anime, fazendo um resumo do capítulo anterior, que você mesmo ajudou a criar através do modo campanha.

Falando em modo campanha, temos aqui um mundo aberto muito fiel a série, respeitando todos os detalhes do anime como as árvore, construções, montanhas, ilhas e toda a fauna da região. Conforme avança na campanha, os mapas aumentam permitindo as viagens rápidas o quão você utilizará com bastante frequência, principalmente nas missões secundárias. 

Aliás, a missões secundarias são um dos pontos negativos do game, pois, apesar de beneficiar com o ganho de XP, são repetitivas e pouco criativas. Por se tratar de um game RPG puro, não dá para evitá-las, porém não demora muito para enjoar delas. 

Mesmo que você se esforce no ganho de XP, seja com missões secundárias, coletando itens ou até mesmo conquistando no modo campanha, sempre que você se deparar com um inimigo mais forte, o XP é quase em vão pois o mote do game é seguir a risca a campanha. Portanto não espere batalhas fáceis, principalmente contra inimigos icônicos como CELL ou MAJIN BOO. 

A arvore de habilidades dos personagens são mais úteis para habilitar skills novas que funcionam mais para efeitos de combos e algumas sequências de quick time events.

O que ajuda muito é o Fórum da Comunidade que nada mais é do que um ambiente em que você acumula uma quantidade de itens e personagens a fim de que se você os juntar, ganha benefícios tais como presentes, combos, itens colecionáveis, itens de cura, dentre outros, criando uma espécie de afinidade.

Após você já se acostumar com o modos operante do game, passa a entender que DBZ: Kakarot é sim um game de luta muito semelhante com os outros games 3D da série, a maior diferença está mesmo na manutenção dos personagens de uma forma geral. Você se esquiva, faz combos devastadores, utiliza os especiais e também os itens de cura, pode até mesmo lutar em duplas, o que é extremamente divertido. Vale ressaltar que os combates de Dragon Ball são um show a parte e aqui não seria diferente. Explosões, efeitos luminosos, rajadas de ki e tudo o que já conhecemos da saga estão lá presentes.

Infelizmente, os bugs estão presentes e são bem corriqueiros tais como ficar preso em paredes, diálogos atravessados, em certos momentos o som simplesmente some, retornando segundos depois.

Apesar deste incidente, um ponto forte a se destacar é a trilha sonora do game que logo de cara já se apresenta através da abertura, de uma forma incrível, refazendo o tema original da série “Z” acrescentando algumas cenas do game, mesclando com a original…é algo lindo. Os golpes de uma forma geral, estão com os mesmos efeitos sonoros, até mesmo o som da nuvem voadora é idêntico ao anime.

Os gráficos, a construção dos personagens, os detalhes únicos como o andar, a forma de se comportar durante a luta, ao se movimentar, tudo é milimetricamente pensado dando a impressão que você está controlando o próprio desenho. Fico imaginando o quão magico seria se este game fosse lançado nos primórdios do extinto programa da GLOBO, a TV GLOBINHO.

A conclusão é que Dragon Ball Z: Kakarot fica no rank de um dos melhores games já feito sobre Dragon Ball e boa parte se vale por todo o cuidado que a Bandai teve em nos transmitir de forma fiel e caprichada, uma das passagens mais incríveis de toda a série.

Aos fãs, o titulo é quase uma obrigação de compra e aos que não são familiarizados com a saga, temos um game de RPG rico em detalhes, divertido e mesmos com alguns defeitos, não deixa de ter brilho próprio. 

Confira nossa Live de Dragon Ball Z: Kakarot :

Dragon Ball Z: Kakarot

8

Nota

8.0/10

Positivos

  • Modo Campanha
  • Trilha Sonora
  • Combate

Negativos

  • Bugs
  • Sem Dublagem em Português
  • Missões Secundárias Repetitivas
Mostrar mais

Thiago Bonito

Administrador, apaixonado por vídeo game, já sofri quando queimei meu Atari, super fã de jogos clássicos e economizando até a alma para comprar o PS5 no dia do lançamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar