fbpx
AnálisesPC

Encodya – Uma órfã e um robô devem salvar o mundo, entenda | Análise

Tudo muda na vida de Tina quando recebe a missão de salvar a megalópole onde vive de seus malignos governantes corporativos

Analisado no PC


Desenvolvido pela Chaosmonger Studio e disponível para PC pelas plataformas Steam e GOG, Encodya nos traz um futuro altamente tecnológico, porém triste. Em 2062, uma garota de 9 anos de idade chamada Tina deve sobreviver na cidade de Neo Berlin, uma megalópole controlada por grandes corporações e cheia de pessoas viciadas no “Virtualspace”, um universo digital onde as pessoas conseguem fugir da realidade atual.

Apesar de órfã, Tina não está completamente sozinha, tendo ao seu lado o robô com codinome S.A.M-53 que Tina chama amistosamente de Sam.

Ao observar uma criança e um robô sendo amigos, imediatamente é possível relacionar com histórias como O Gigante de Ferro, uma animação dos anos 2000 e Big Hero 6, de 2014. Porém Tina e Sam vivem sua própria aventura, vivendo no telhado de um prédio, tendo que diariamente procurar sustento para si e para seu companheiro e tentando evitar a polícia que não aceita muito bem crianças moradoras de prédio rua, de repente se vem tendo que salvar a cidade ao descobrir uma gravação de seu pai nos arquivos de Sam e descobrindo mais sobre sua origem.

ENCODYA

O jogo segue o gênero de “point-n-click”, onde você pode controlar tanto Tina quanto Sam podendo interagir e colecionar diversos objetos espalhados pelo chão, além de conversar com diferentes personagens. Com a possibilidade de alternar entre os protagonistas, a interação com os personagens também é alterada, pois alguns humanos não tem a intenção de conversar com robôs. Porém humanos com diálogos mais “técnicos” se dão melhor com o pensamento computadorizado de Sam, além do próprio poder se comunicar com outros robôs que não são capazes de falar a língua humana. Assim como diversos jogos do gênero o progresso é feito baseado em: Colecionar objetos encontrados, combiná-los, solucionar alguns quebra cabeças, seja com esses objetos combinados ou explorando diálogos com os personagens.

Encodya possui duas dificuldades, Fácil e Difícil, na dificuldade Fácil ao usar o botão de ação, os objetos que podem ser coletados são iluminados para melhor identificação, além de ser possível conversar com Sam a qualquer momento para que ele de alguma dica sobre qual o próximo passo, mas pode ser que mesmo com essas dicas o jogador se sinta um pouco preso, pois existem momentos que a resolução do quebra cabeça não é tão clara, pode se ficar um bom tempo tentando combinar objetos para encontrar a combinação certa que irá ajudar a resolver o quebra cabeça. Na dificuldade Difícil, não existe a opção de iluminar os objetos, nem de pedir dicas ao Sam, mas libera conquistas exclusivas para o modo.

ENCODYA

Assim como diversos jogos do gênero, este possui uma visão fixa onde o personagem se move por diferentes locais. As opções de exploração se baseiam em cliques no espaço onde deseja que os personagens se locomovam e setas nas extremidades das áreas que revelam uma nova área para o local onde se encontram. Alguns locais se mostraram um pouco difíceis de serem explorados, algumas dessas grandes áreas escondem pequenas lugares que não se encontravam na visão da câmera, tendo que locomover os personagens até que essa área fosse mostrada. Além de em alguns locais pequenos ou estreitos como corredores, são necessários diversos cliques para que o personagem vá até a extremidade da tela para que mais da área apareça até que tenha explorado tudo.

Ainda no quesito visual, a construção da cidade é muito bem feita, com locais detalhados que entregam bem a ambientação, como becos com diversas lojas, áreas centrais muito bem iluminadas com sinais de luz neon, além de florestas e ruínas. A cidade parece bem viva, com pessoas, carros e robôs andando pelas áreas. Apesar do cenário ter características 2D, os personagens são inteiramente em 3D, o que poderia ser uma escolha interessante, porém possuem um brilho plástico que os fazem destoar demais do resto do cenário, além da escolha do design dos personagens que pode não agradar a todos.

ENCODYA

Entrando nas características sonoras, sendo inteiramente dublado, o jogo apresenta mas vida e dinamismo com personagens com diferentes sotaques, formas de falar e demonstra melhor a personalidade de alguns. A trilha sonora encaixa muito bem a ambientação futurística porém decadente da cidade de Neo Berlin.

Por fim, a história de Encodya não possui grandes reviravoltas, é interessante de acompanhar e ver os diversos desafios que uma garota de 9 anos enfrenta ao lado de seu melhor amigo robô, é claro. Para jogadores que gostam e/ou sentem falta de novidades no gênero “point-n-click”, Encodya é uma boa escolha, por claramente ter sido feto com muita atenção e carinho pela equipe da Chaosmonger.

Encodya

8

Nota

8.0/10

Positivos

  • Cenários bem feitos e detalhados
  • Inteiramente dublado
  • Boa ambientação sonora
  • História simples, mas boa

Negativos

  • Quebra cabeças não tão claros
  • Modelos de personagens que destoam negativamente
  • Difícil exploração em alguns locais

Diogo Espindola

Formado em Marketing. Nintendista assumido e fã da franquia Zelda, porém também apaixonado por jogos de ritmo e JRPGs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo